Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Política

Trabalhadores chineses vítimas de emboscada

Cabinda: Guerrilha ameaça empresas e estrangeiros no enclave

Cabinda – Três trabalhadores de nacionalidade chinesa foram feridos esta manhã numa emboscada da guerrilha cabindesa na estrada entre Tchiwoa e Massabi. A resistência garante que «todas as empresas e estrangeiros estão ameaçados em Cabinda».

A operação da resistência, dirigida pelo comando operacional de Massabi, ocorreu às 07:00 horas desta quinta-feira, 26 de Março, entre as localidades de Liambo Liona e Weca quando uma coluna de três camiões DAF se dirigia para Ponta Negra a fim de abastecer-se de cimento para as obras no estádio de Cabinda. Segundo a resistência foram registados três feridos, dos quais dois em estado muito grave.

«As empresas e os estrangeiros vão continuar a ser alvos em Cabinda até que o Governo angolano decida negociar» afirmou à PNN um quadro militar da resistência que garante que o número de emboscadas e as acções armadas vão aumentar no território.

Testemunhas locais garantiram também que após o ataque da guerrilha as Forças Armadas Angolanas (FAA) procederam a «violentas acções punitivas» contra as populações das aldeias de Liambo Liona e Weca.

Com frequência a resistência cabindesa tem alertado para o risco que correm os estrangeiros em Cabinda e lembram que «a guerra continua no território contrariamente a versão apresentada por Angola».

«Nós estamos em guerra e a guerra vai continuar a ceifar vidas humanas» declarara Estanislau Miguel Boma, Chefe de Estado-maior General das FAC (Forças Armadas Cabindesas), braço armado da FLEC, em entrevista à PNN. Situações como a «morte do brasileiro e do português que foi ferido» podem voltar a acontecer, avisara o mesmo militar, «porque uma guerra não faz escolhas das vítimas e atinge todos aqueles que sustentam e fortalecem o inimigo».

Num comunicado difundido à imprensa ss Forças Armadas Cabindesas alertam «que todos os estrangeiros que trabalham sob a tutela do governo neocolonial angolano serão tidos como alvos enquanto Luanda não decidir negociar o fim do conflito com a FLEC».

Após o ataque desta manhã o governador de Cabinda, Aníbal Rocha, terá anulado uma deslocação a Massabi prevista para esta quinta-feira.

(c) PNN Portuguese News Network

2009-03-26 17:45:11

MAIS ARTIGOS...
  Cabinda: Residência de Jorge Congo cercada pela polícia
  Cabinda: Sete militares angolanos mortos na região de Massabi
  Cabinda: «Um conflito inútil que não teve qualquer razão para existir»
  FLEC denuncia «reforço excessivo» de efectivos militares angolanos em Cabinda
  Cabinda: Comandante «Cristo» poderá ser extraditado para Angola
  Cabinda: Comandante da FLEC capturado no Congo
  Nzita Tiago: «O problema de Cabinda pode ser resolvido em 30 minutos»
  Nzita Tiago: «FLEC/FAC está pronta para negociar com Angola»
  Cabinda: Cinquenta anos de guerrilhas
  Angola: General das FAA refere que situação política e militar é estável
  Eleições em Angola dividem nacionalistas cabindas
  Suíça: Cabindeses vão manifestar em frente à embaixada americana em Berna

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


PROVÉRBIOS
"Kupódi túmuka ko: Nti ava kaménina."
(Ninguém pode arrancar: A árvore (adulta) que já tem raízes.)
Outros
Relatório da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatório da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Notícias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais